Comentários comentar

Fernando @gvtrinken - 3 meses atrás

Comprei esse fone no final de 2020, para uma viagem, e finalmente resolvi postar um review dele aqui no site.
O fone é composto por dois autofalantes, um microfone, uma entrada micro-USB fêmea e um módulo bluetooth, todos ligados entre si por meio de fios finos. A instalação é fácil: ele vem com dois adesivos dupla face 3M para fixação dos falantes na casca plástica dos capacetes, atrás das espumas de proteção das bochechas. Particularmente, não precisei usar os adesivos, pois os falantes ficaram bem presos apenas pela pressão da espuma. Fixei ambos logo ao lado dos encaixes das cintas jugulares, de modo que o buraco por onde as cintas passam na espuma facilita a passagem do som (dá pra ver ele na terceira foto). O microfone tem posição ajustável e fica bem fixo na posição escolhida (escolhi que fique diretamente em frente à boca). O falante esquerdo e o microfone são ligados ao direito e ao dispositivo bluetooth por meio um fio que é passado pelo intervalo entre a proteção de isopor do capacete e sua casca externa. Do dispositivo bluetooth parte um pequeno cabo com plug micro-USB fêmea para carregamento da bateria (uso um carregador de celular de 2A. Na primeira carga, foram cerca de 4 horas para completar, nas demais, cerca de 2 horas bastaram).
A fixação do dispositivo bluetooth no capacete é feita por meio de pois parafusos que regulam uma espécie de abraçadeira forrada com EVA, para não danificar o capacete. Esses parafusos ficam em orifícios cobertos por tampas de borracha (são os pequenos círculos pretos que estão quase afundados no sofá, na primeira foto).
O pareamento com o celular é fácil e a reconexão é rápida. O controle pode ser feito tanto pelo celular quanto pelo dispositivo fixado no capacete. Com o botão “-“ é possível retornar ao início da música atual (um toque), retroceder à canção anterior (dois toques) ou baixar o volume (segurar); por sua vez, os comandos inversos podem ser obtidos pelo botão “+”. O botão com símbolo de telefone serve para ligar/desligar o aparelho (segurar), para reproduzir/pausar a música (um toque) ou para ativar o assistente pessoal do celular (dois toques). Caso uma ligação seja recebida, o dispositivo avisa (em inglês “da China”, se é que me entendem) do fato e soletra o número chamando: nesse caso, um toque no botão com símbolo de telefone atende à ligação e dois toques rejeitam).
Quando comprei esse fone, o anúncio afirmava que ele suportava até 16 horas de reprodução ininterrupta de música, o que me pareceu correto (não medi, mas pilotei dois dias, rodando 8 horas no primeiro dia e mais ou menos 6 no segundo dia, sem precisar de carga). Alguns anúncios dizem que são 32 horas, mas acho forçado. No primeiro ano de uso (sem ser viajando) recarregava raramente. Hoje em dia a bateria só aguenta cerca de uma hora de som. Felizmente, descobri uma gambiarra: se o fone for ligado e começar a tocar música, é possível conectá-lo a um powerbank e ele continua tocando (se ele não começar a tocar antes, nem adianta tentar: ele não toca após conectado na energia).
Quanto a ser à prova d’água, o dispositivo externo cumpre o que promete: já tomei tudo quanto é tipo de chuva com ele e nunca deixou de funcionar. Obviamente, as partes internas devem ficar protegidas dentro do capacete. O aparelho é todo vedado, logo, não sei se dá pra trocar a bateria e manter à prova d’água.
Quanto à qualidade do som, considero satisfatória para uso urbano ou viagens “de boa” mas, se você gosta de enrolar o cabo do acelerador até o final, não rola. Viajando com a Drag Star, o som é audível até uns 100km/h, aproximadamente, depois disso o barulho do motor e o próprio vento batendo no capacete deixam o som quase inaudível. Com a Intruder, perto dos 80km/h já não se ouve nada (detalhe: peso 140kg e a Intruder, a 80km por hora, já tá pedindo arrego, coitada). Condições como ventos, chuvas e tráfego intenso atrapalham para ouvir o som. A qualidade do áudio nas chamadas varia bastante (sinal, operadora, aparelho de onde a chamada se origina, etc.), mas em geral exige que quem te liga fale bem alto. No uso urbano, entretanto, é excelente.
Nunca uso no volume máximo: o som fica estridente demais, chega irritar. Mas até o penúltimo nível, tá de boas.
Na época, paguei R$ 215,00, mais ou menos, de fornecedor com ele no Brasil. Hoje se encontra facilmente por cerca de R$ 160,00 (compra internacional). Como esse modelo fica fixo no capacete, não rende multa (como um fone de ouvido bluetooh normal).
Prós: À prova d’água; duração da bateria (no primeiro ano); controles fáceis.
Contras: duração da bateria (atualmente); som relativamente baixo em condições de vento, chuva ou altas rotações do motor.